quarta-feira, maio 17, 2006

A parede e a solidão



Na parede branca passou, passeando, uma solidão sem sombra. Restou a imagem dos passos lentos, pesados, sem tempo nem direcção, que deambularam à procura de um passado ou de um abrigo... Fugindo vagarosamente da calma que a condenava... Restou a parede branca. A solidão não abarca o apelo da luz alva nem o apego dos dias claros de sol...

4 comentários:

Miguel disse...

Excelente fotografia ...

A velhice chega a todos!

Bjks da Matilde

ailéh disse...

este texto faz.me regressar aquele algarve outro....aquele algarve escondido .. onde tantos outros rostos marcados da vida, espreitam a sombra encostados a paredes brancas de cal....

beije com sabore a lagostimmm

Fatma disse...

Foi nesse mesmo algarve que esta parede quis tornar-se espelho desta vez...

Anónimo disse...

Very pretty design! Keep up the good work. Thanks.
»