domingo, maio 14, 2006

Éden

É no segredo das almas
Que os deuses repousam;
Nessas sombras brancas
Onde se espelham as nuvens,
Onde o som sossega e o silêncio cai.

É pelo olhar distante
Que o sono se entorna
Gota a gota
Sobre a cama vazia
E a manhã recorda,
Serena e atenta,
O acordar de outro dia.
É sobre o teu respirar lento
Que a luz expira, cansada,
E a lua se casa com o vento.

É no amanhecer das pedras
Que os deuses sonham.
As folhas caem, atordoadas pelo tempo,
Na calçada deserta, onde os passos calam.
Nelas se escrevem outras lendas,
Outros abraços.

É a distancia do corpo
Que as lágrimas anunciam;
Ponte suspensa em margem alheia.
É no segredo do mundo
Que a alma vagueia,
É no segredo das almas
Que os deuses suspiram.

(Dezembro 2001)

4 comentários:

Antonio disse...

"É pelo olhar distante
Que o sono se entorna
Gota a gota
Sobre a cama vazia
E a manhã recorda,
Serena e atenta,
O acordar de outro dia."

Que belo, Fátima.
Um beijo.

ailéh disse...

Fatma... " foi no segredo dos deuses que te vim encontrar
Será que posso colocar esta "parede branca" ... tão bem "caiada" num branco traslúcido de serenidade, no meu "sonhoasul"....

ele ficaria um pouco mais orgulhoso do seu asul...

um beije algarvie

Fatma disse...

Ailéh:

Não vejo problema. Penso que o orgulho será igualmente meu. Sonhoasul já faz parte do meu dia a dia de sonhos e sentidos. E já agora: Parabéns pelo ano de sonhos.

Um "beije algarvie" também

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.