sexta-feira, novembro 06, 2009

Necessidade


de retornar aqui... ao início. 

3 comentários:

António Baeta disse...

O teu quartinho de menina na casinha da mamã, não?

Uma Ana tua disse...

Leio isto como retornar ao vazio e não ao quartinho da casinha da mamã. Como retornar ao tempo em que se escolhe como e quando pintar, o que encher de corpos e imagens. Não é só uma "febrezita e dor de garganta"!

Fatma disse...

Minha Ana minha, não é só não... e sim, é sem dúvida "Como retornar ao tempo (e ao espaço) em que se escolhe como e quando pintar, o que encher de corpos e imagens", ao tempo onde o futuro não tinha imposição e o passado se tornava suavemente e naturalmente presente.
Mas acaba por ser, também de algum modo, uma necessidade de regressar a algo que tenha o conforto e o consolo de um quarto de menina, onde tudo é simples, onde os abraços de uma "mãe" estão presentes, mesmo que não sendo necessários.Onde não exista lixo, sujidade excessiva e "objectos" desnecessários a impedir a passagem e a distrair a visão e o pensamento. Talvez me tenha complicado demasiado cedo, e seja essa uma infância "descomplicada" que deva e precise viver agora.
É retornar a casa (curiosamente agora que pernoito temporariamente durante a semana na casa dos meus pais, que eu amo de todo o coração e que me fazem cada dia crescer em mim e ser mais "eu", mas onde o quarto há muito que não existe e nem poderá/deverá existir. É o retornar à minha casa com todos os significados ambíguos e diversificados que a frase tem. Retornar à casa que nos abriga e onde abrigamos... é lembrar-me de mim e dos "meus" outros (vocês tb:))em mim e vivê-lo. Mas confesso... não o estou a conseguir fazer neste momento...